Se tem um assunto que não sai da cabeça das pessoas nesses últimos tempos é a pandemia do novo coronavírus. Seja na televisão ou nas redes sociais, não tem nenhuma conversa que não comece ou termine falando da doença. E você sabe qual o nome da ciência que estuda os vírus? É a virologia. Nesse sentido, resolvemos detalhar um pouco mais sobre essa área e como pode ser uma boa oportunidade de carreira profissional para você.

Mas, pra começar, por que existe a virologia? Ela existe, principalmente, para estudar os vírus e todas as suas propriedades. Da mesma forma, existem vários cursos da área da saúde que em algum momento estudam com doenças ligadas a vírus, como Ciências Biológicas ou até Enfermagem.

Portanto, nesse post, vamos inteirar você melhor sobre esse assunto tão atual. Pra ficar mais claro, vamos começar pelo começo: o que são vírus?

CLIQUE AQUI E SAIBA COMO OBTER UMA BOLSA ESTUDOS NA FMU

Leia também: Faculdade de Ciências Biológicas em SP: saiba tudo sobre o curso da FMU

O que são os vírus

Segundo o site da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa, vírus são entidades submicroscópicas constituídas por ácido nucleico (RNA ou DNA) e envolvidos por uma capa proteica. Eles causam infecção e se replicam em seus hospedeiros. 

Eles podem variar de tamanho entre 10 a 300 nm. Dessa forma, são considerados os menores microrganismos existentes, portanto só podem ser visualizados através da microscopia eletrônica. Para se ter uma ideia, as bactérias possuem, em média, 10 a 15 vezes o tamanho dos vírus, sendo assim, podem ser identificados através da microscopia óptica.

Os vírus precisam de uma célula viva para poderem se multiplicar, o que faz com que, por consequência disso, existam discussões sobre eles serem ou não considerados seres vivos. Todas as espécies vivas, como as bactérias, as plantas e enfim, os animais, podem hospedar os vírus.

São considerados a maior diversidade biológica do planeta, sendo mais diversos que bactérias, plantas, fungos e animais juntos.

O estudo dos vírus começou faz muito pouco tempo, mais ou menos da década de 1930, mesmo que as doenças infecciosas causadas por vírus já habitem nosso planeta desde os primórdios. Já, a partir da década de 80, foram desenvolvidas ferramentas que ajudaram a identificar e caracterizar esse vírus. Tudo isso, sobretudo por conta dos avanços na área da biologia molecular.

As viroses

As doenças causadas pelos vírus, são chamadas de viroses. Não existe cura, nem tratamento específico para as viroses, na verdade é o nosso próprio corpo que produz os anticorpos necessários.

A única maneira de se evitar pegar um vírus é não se expor a ele. Por isso, a orientação dos governos pelo isolamento social em relação ao novo coronavírus. Existem também as vacinas que podem prevenir a contaminação.

Essas doenças são responsáveis pela mortalidade de muitas espécies vivas na história da humanidade. Além disso, suas consequências geram impacto em outras áreas, como as atividades econômicas de um país.

A varíola, por exemplo, foi uma das maiores pandemias da humanidade e dizimou populações. Hoje, ela é a única doença erradicada do planeta. 

O que é pandemia?

Em primeiro lugar é necessário saber o que são epidemias. Epidemias são quando existe um número de casos de alguma doença, que excede a quantidade prevista. Isso, por um período de tempo determinado, em uma região.

Já as pandemias são epidemias que alcançam grandes extensões geográficas, quase que simultaneamente ou com deslocamento de um continente a outro.

Existem também as endemias, que são quando a presença contínua de uma doença ou um agente infeccioso em uma área geográfica determinada.

Algumas das principais doenças causadas por vírus

  • COVID-19: causada pelo SARS-CoV-2, um vírus da família do coronavírus. É a doença que está marcando o século 21 e que parou o mundo. O vírus pode causar desde uma gripe comum até uma pneumonia fatal. Existem outros coronavírus que também causam doenças respiratórias, como o SARS-Cov que também causou epidemias em 2002 e 2003;  
  • AIDS (SIDA) – Síndrome da Imunodeficiência Adquirida: é causada pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), que ataca os sistemas circulatório e imunológico;
  • Catapora: também conhecida como varicela, é causada pelo vírus varicela zoster (VZV), que causa uma infecção na pele;
  • Caxumba: causada pelo vírus do gênero Paramyxovirus, que ataca principalmente o sistema digestório, glândulas salivares, testículos, ovários e pâncreas;
  • Dengue: causada pelos vírus Den I ao IV do gênero flavivírus, que atacam os sistemas circulatório e imunológico. Também é uma doença muito atual que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti;
  • Febre amarela: também causada por um vírus flavivírus, que ataca os sistemas circulatório e imunológico. Também é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e o Haemogogus;
  • Febre Chikungunya: causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), que ataca os sistemas circulatório e imunológico. Também transmitida pelo mesmo mosquito, Aedes aegypti e também o Aedes albopictus;
  • Febre Zika: transmitida pelos mesmos mosquitos da Febre Chikungunya, é causada pelo Zika vírus (ZKV);
  • Ebola: também conhecida como febre hemorrágica, é causada pelo vírus ebola, que ataca os sistemas circulatório e imunológico;
  • Gripe comum: causada pelo vírus Influenza, que ataca o sistema respiratório.

E o que é virologia?

Como mencionamos anteriormente, virologia é ciência que estuda os vírus. É um ramo da microbiologia que serve para dar aos profissionais, ferramentas que lhes permitam compreender algumas das questões práticas em relação aos vírus. A virologia permite compreender o funcionamento e justificar a existência de vírus.

A profissão do virologista é de extrema importância no mercado. Vide situação global atual. Sem os virologistas estaríamos muito mais distantes de uma possível vacina para o coronavírus, assim como outras doenças.

Por conta dos virologistas através dos tempos as populações tem aumentado sua expectativa de vida, já que muitas doenças foram descobertas e tratadas por eles durante o último século.

Ciências Biológicas e Biomedicina

Alguns cursos de graduação estudam virologia. Ciências Biológicas é um deles, além de Biomedicina. Esses dois cursos são oferecidos pela FMU. Além de ter contato com a virologia, você pode, com essas graduações, se abrir para muitas possibilidades de profissões, nós inclusive já falamos sobre esses dois cursos aqui no blog.

São dois cursos de bacharelado, oferecidos na modalidade presencial, sendo a Biomedicina também na opção semipresencial.

CLIQUE AQUI E SAIBA COMO OBTER UMA BOLSA ESTUDOS NA FMU

Para ter um diploma de virologista, é necessária uma especialização, com nível de pós-doutorado. É preciso muito estudo para poder fazer parte dessa carreira tão importante.

Para atuar na virologia, é necessário ter habilidades como observação, comunicação, análise, pensamento crítico, raciocínio, resolução de problemas, além de habilidades com softwares científicos e medicinais como um todo.

O virologista faz pesquisas e conduz estudos. Também pode fazer a supervisão de uma equipe de pesquisadores. Podem atuar em hospitais ou grandes clínicas médicas. Podem atuar em conjunto com a equipe médica estudando pacientes específicos.

O que se estuda na virologia

  • Estuda a capacidade do vírus de se multiplicar dentro de um organismo;
  • Além das estruturas dos vírus e suas classificações;
  • Quais são as doenças causadas pelos vírus;
  • Os tipos de imunização contra os vírus;
  • Todas as terapias e vacinas;
  • Os sistemas de controle de infecções virais;
  • As epidemias e pandemias causadas pelos vírus;
  • Os métodos de diagnósticos quando há a presença de vírus em organismos;
  • Quimioterapia antiviral.

A importância da virologia

Uma das consequências dos estudos da virologia é a produção de vacinas. Estas que tem cada dia salvado mais e mais vidas e erradicado doenças no mundo todo.

Além disso, podem também fazer terapias genéticas feitas com vírus em tratamentos de doenças como o câncer.

A virologia trabalha de mãos dadas com um sistema de vigilância médico-epidemiológica efetivo. Isso para que a detecção de novos ou antigos vírus possa acontecer, além de definir quais serão os investimentos em pesquisa.

Nesse sentido, é necessário que os novos virologistas e cientistas estejam preparados para enfrentar novos desafios, como o que está acontecendo agora com o novo coronavírus.

Segundo artigo “Novos desafios no ensino da Virologia”, equipes tradicionais formadas por pesquisadores de Virologia Básica e Clínica serão acrescidas de matemáticos, físicos, cientistas da computação e biólogos de população, entre outros, no futuro. Ou seja, cada vez cresce mais a necessidade dessa multidisciplinaridade no estudo da virologia. Isso por conta dos constantes avanços científicos na área.

Ficou interessado por esse assunto? Matricule-se em um dos cursos da FMU e esteja mais próximo da profissão que você deseja. E continue acompanhando o nosso blog para mais dicas como essa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui